Produtos encontrados: 55 Resultado da Pesquisa por: em 71 ms

      Itens por página:

      Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

      Produtos encontrados: 55 Resultado da Pesquisa por: em 71 ms

      Itens por página:

      Produtos selecionados para comparar: 0Comparar

      Correntes de ouro foram incorporadas ao homem moderno, sem deixar de ser clássica

      A fabricação desta peça foi aprimorada pelos italianos, que adicionaram design, beleza e qualidade; saiba mais sobre esta joia

      A corrente de ouro é um colar que faz parte do cotidiano das pessoas, principalmente dos homens. O item foi incorporado à moda e pode simbolizar diferentes aspectos, dependendo de quem a utiliza.

      Esta peça, que antigamente reproduzia poder e força, agora é usada por qualquer pessoa que deseja apresentar uma boa aparência e chamar a atenção para seu vestuário. De maneira simples, a corrente de ouro age de maneira especial: deixa o homem moderno e naturalmente clássico.

      Compre sua gargantilha no JoiasGold

      O Portal JoiasGold é parte do conceituado grupo Augusto Joias, que atua há 25 anos no ramo da joalheria em Santa Catarina. A empresa abrange desde a fabricação de joias ao atacado e varejo, com inúmeras lojas nos principais shoppings da região.

      A qualidade de nossas joias é outro fator de destaque, sendo fabricadas somente em ouro18k, com certificado de garantia e nota fiscal.

      Oferecemos vários tipos de correntes masculinas, sendo todas elas de altíssima qualidade. Entre os modelos, temos:

      · Oca em ouro

      · Grossa em ouro

      · Cartier

      · Grumet com palitinho

      · Veneziana

      E muito mais!

      Tipos de correntes

      As correntes de ouro podem ser encontradas em diferentes estilos. Os modelos mais populares são aqueles em cabo, feitos com elos ovais e correntes em meio-fio, fabricadas com ligações planas, ou com as correntes em forma de corda, feitas para se parecerem com a própria corda.

      Outros estilos de corrente incluem o formato de caixa, de raposa e de bala, que envolve modelos ligados. Já as correntes em barra e contas alternam entre elos nestes formatos, enquanto a rolo consiste em elos largos e circulares.

      Como usar

      · Homens que possuam uma estrutura física com ombros mais largos devem optar pelo cordão que crie uma linha central alongada;

      · Para os corpos de ombros mais estreitos, a ideia é usar um colar com modelo pouco mais delicado, sem muito volume;

      · Quem tem o pescoço mais fino, prefira modelos mais curtos e arredondados. Evite pingentes compridos e correntes que ficam com aspecto em V;

      · Evite usar a corrente muito curta e próxima da pele do pescoço, no geral.

      Conheça mais sobre a história dessa valiosa peça

      É incerto a data correta de surgimento das correntes de ouro mas, segundo historiadores, os primeiros registros dessas joias são da região da Mesopotâmia, 3 mil a.C.

      Já na época da expansãomercantil, quando as correntes conquistaram a nobreza e elite inglesas, a peça começou a ser associada a luxo. As correntes eram utilizadas pela alta sociedade.

      Sua popularidade cresceu ainda mais na época vitoriana, quando passou a exercer um valor sentimental ao compor medalhões e suvenires. Já na França, essas peças eram símbolo de autoridade e fidelidade.

      E veio o aprimoramento

      Mas foram os italianos que associaram o conceito de design às correntes, trazendo qualidade e beleza. O povo que produzia joias desde o Renascimento desenvolveu técnicas diferenciadas na fabricação. Este poder foi aprimorado pelas mãos de ouvires como Benvenuto Cellini, Andrea Del Verrocchio e Antonio di Jacopo Pollaiuollo.

      Técnica de produção

      Com a invenção dos fios de ouro, as técnicas para fazer correntes foram adicionadas ao repertório na elaboração de joias para o homem. O fio era criado por meio do processo de martelar faixas planas de ouro, puxando o material através de moldes até que ficassem finas. Os elos criados eram colocados em um longo processo de curvar e soldar.

      Este foi o único método de fabricar correntes de ouro, desde o tempo dos antigos persas e romanos até chegar ao século XVIII, quando a máquina de correntes foi finalmente inventada. Desde aquele período, as máquinas evoluíram timidamente, mudando apenas a quantidades de opções e a fonte de energia.

      Existem vários tipos de máquinas usadas para fabricar as peças. A de cabo, por exemplo, abastece o fio diretamente no molde guia, que determina o comprimento e grossura de cada elo, e então para um aparte formadora que dobra e junta os elos. Outras, direcionam os fios em uma parte giratória que produz espirais, que cortam o fio enquanto ele vai sendo alimentado.